Header Ads

Vacinação contra a gripe é prorrogada até 13 de junho

A campanha de vacinação contra a gripe, iniciada em 5 de maio, e que se encerraria nesta sexta-feira, 1º de junho, foi prorrogada novamente até o dia 13 de junho, quarta-feira, em função do baixo número de pessoas que procuraram os postos de saúde. A meta é imunizar pelo menos 80% dos idosos a partir de 60 anos, trabalhadores de saúde, crianças entre seis meses e menores de 2 anos, gestantes em qualquer fase da gravidez e indígenas.

Até o dia 1º de junho, foram imunizadas 184.725 pessoas, 67,79% do público-alvo. A meta é imunizar 272.502 e dois grupos de risco já a ultrapassaram: 140,41% de trabalhadores da saúde, o que equivale a 25.450 pessoas, e 523 indígenas (108,28%). Entre os outros imunizados dentro dos grupos de risco estão 16.314 crianças, 6.819 gestantes e 137.410 idosos.

De acordo com a chefe do Núcleo de Imunizações da Coordenadoria-Geral de Vigilância em Saúde (CGVS) da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Patrícia Couto Wiederkehr, a vacina é importante mesmo para quem já foi imunizado no ano passado, porque o efeito perde potência com o tempo.

A Vigilância em Saúde chama atenção para os riscos da gripe - especialmente com a proximidade do inverno – e lembra que, em Santa Catarina, já foram registrados vários casos de gripe A neste ano, inclusive com óbitos. Quem recebe a vacina fica protegido contra os três principais vírus que circulam no Hemisfério Sul no ano anterior – entre eles o H1N1, causador da gripe A.

Patrícia salienta que, ao contrário do que muitas pessoas pensam, a vacina não provoca gripe, já que é produzida a partir do vírus inativo (morto). Outro mito está ligado à gestação. Ela afirma que as futuras mães podem ser imunizadas em qualquer etapa da gravidez, sem nenhum risco. Lembra ainda que, durante a pandemia da gripe A em 2009, as gestantes foram consideradas grupo de alto risco para infecções causadas pelo vírus da Influenza. A Sociedade de Geriatria do Rio Grande do Sul e a Associação de  Ginecologia e Obstetrícia do Rio Grande do Sul lançaram campanhas advertindo sobre a importância da vacina para crianças e gestantes.

Dados do Ministério da Saúde indicam que, entre adultos saudáveis, a vacina pode prevenir de 70% a 90% a ocorrência de gripe. Entre idosos, reduz as doenças graves e complicações em até 60%, e as mortes, em 80%. A vacinação ainda diminui entre 32% e 45% as hospitalizações por pneumonias.
Tecnologia do Blogger.