Header Ads

Como tratar ou prevenir a dislexia adquirida

Até pouco tempo atrás o termo dislexia adquirida era apenas alvo de protestos e comentários desdenhosos. Porém a detectora e defensora do tema, Lou de Olivier, insistiu até conseguir que o termo fosse oficializado e o distúrbio incluído oficialmente nos Descritores de Saúde em Português, Inglês e Espanhol. Apesar de todo este esforço e da conquista na inclusão oficial do distúrbio na Ciência da Saúde, ainda há muitos leigos e até profissionais confundindo os sintomas e as formas e aquisição. Então, Lou de Olivier entra em cena, novamente, para abordar o tema com clareza e simplicidade para que todos possam ter acesso à esta informação de forma correta.

A história de Lou de Olivier mistura-se a descoberta e classificação deste distúrbio. Desde seu afogamento em 1978, tendo sofrido anoxia/hipoxia (ausência de oxigenação no cérebro), o que, na época não foi diagnosticado, estando totalmente desmemoriada, tendo perdido a capacidade de identificar letras e números e também incapacitada de falar os idiomas nos quais antes tinha fluência, ou seja, Inglês e Francês e tendo dificuldades até para expressar-se em Português, sua língua principal) desenganada pela medicina saiu sozinha em busca de informações e estudos. Após alguns anos de pesquisa, tendo encontrado sozinha a causa de sua perda total de memória, passou a pesquisar anoxia/hipoxia perinatal (ausência de oxigenação no cérebro dos recém-nascidos). Nesta ocasião, já havia recuperado parte da memória, já estava cursando sua terceira faculdade (psicopedagogia) e conseguiu ligar a anoxia/hipoxia ao distúrbio da dislexia adquirida (termo que Lou de Olivier achou conveniente para explicar o ocorrido com ela).

Extremamente criticada, chegou a ser ameaçada de ser processada, por uma famosa associação que a acusava de “inventar” distúrbios que a referida associação teimava em afirmar que só poderiam ser genéticos/hereditários. Mas Lou de Olivier insistiu não só nesta comprovação mas em varias outras como a ligação entre o abuso de drogas aos sintomas de TOC (Trantorno Obsessivo-Compulsivo), a anoxia como uma possível causadora de distúrbios de aprendizagem e também de Autismo e seguiu suas polemicas pesquisas tendo criado também o método de Multiterapia.

Atualmente, após quase 35 anos de seu inicio de pesquisa, estão comprovadas suas pesquisas sobre anoxia como uma das possíveis causas do autismo, como uma das principais causas de distúrbios de aprendizagem e, especialmente está definitivamente aceito o distúrbio da Dislexia Adquirida constando dos termos oficiais da Ciência da Saúde em língua portuguesa, espanhola e também inglesa, onde recebeu a denominação de Acquired Dyslexia.

Apesar de toda a divulgação e atenção que o mundo está dispensando a este distúrbio, aqui no Brasil, ainda há grande desconhecimento e tem sido divulgado de forma incorreta, circulando pela internet e jornais impressos alguns artigos equivocados sobre o importante tema.

Para sanar este problema e esclarecer profissionais de Saúde e também pais, professores e estudantes, a detectora do distúrbio está disponibilizando gratuitamente material informativo que pode ser consultado em site oficial e também em seu portal multiterapêutico. Há também uma palestra ministrada gratuitamente desde que seja em São Paulo – Capital e seja possível colocar os livros de Lou de Olivier à venda no local da palestra. Em outras cidades/estados do Brasil, há necessidade de envio de passagens e cobertura de despesas da palestrante e, em alguns casos, de um assistente.
Tecnologia do Blogger.