Header Ads

Bebianno nega irregularidades com recursos da campanha eleitoral

O ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gustavo Bebianno, afirma que não foi responsável pela escolha das candidatas de Pernambuco, beneficiadas com recursos do PSL nacional.

Em nota de esclarecimento divulgada à noite passada, Bebianno diz que era responsável apenas pela campanha presidencial e que a definição das candidatas locais era de responsabilidade dos diretórios estaduais, no caso seria o Diretório de Pernambuco.

O ministro ainda disse reiterar o incondicional compromisso com o país, com a ética, com o combate à corrupção e com a verdade acima de tudo.

Reportagem da Folha de São Paulo sugere que o Partido Social Liberal (PSL) usou candidatas laranjas para desviar recursos públicos do Fundo Eleitoral.

A candidata Maria de Lourdes Paixão, que teve 274 votos, foi a terceira que mais recebeu dinheiro do partido, R$ 400 mil no total.

Durante a campanha, Bebianno era o presidente do partido e também responsável pela distribuição dos recursos, segundo ata do próprio partido em julho.

O presidente Jair Bolsonaro determinou que o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, solicitasse uma investigação à Polícia Federal.

Em entrevista, Bolsonaro chegou a afirmar que se fosse comprovada irregularidade Bebianno deveria, nas palavras do presidente, voltar às origens. (CN com Rádio Nacional, Brasília.)