Header Ads

'Fico estarrecida ao ouvir que mulher não nasce mulher', diz Janaína Paschoal

Uma reflexão imperdível feita pela deputada estadual do Rio de Janeiro, Janaína Paschoal, sobre a afirmação do ministro Celso de Mello, do STF, no julgamento (interrompido) da ação do PPS que pede a criminalizarão da homofobia, admitindo que a "mulher não nasce mulher; torna-se mulher". O texto da advogada e professora de Direito Penal da USP foi postado no Twitter, onde ela sempre inicia com o simpático vocativo "amados".

Leia a íntegra do texto:

"Amados, um observador mediano percebe que não sou partidária da ideia de que meninas vestem rosa e meninos azul. Também não comungo do entendimento de que mulheres querem ser bailarinas e não políticas.

No entanto, fico estarrecida ao ouvir que mulheres não nascem mulheres, tornam-se mulheres, sobretudo quando entoa a frase um Ministro do STF. Ainda que a ideia seja trazida em contexto que busca prestigiar a comunidade LGBT, indago: "em que isso ajuda as mulheres?"

Será que não se percebe que ao dizer que mulheres não nascem mulheres, tornam-se mulheres se está reduzindo as mulheres ao NADA. Será que não se percebe que, uma vez mais, conceitua-se mulher a partir do conceito de homem?

O que são nossas vaginas, nossos seios, nossos úteros, nossa inteligência emocional, nosso sexto sentido, nossa capacidade de fazer inúmeras coisas ao mesmo tempo, nossa capacidade de, além da vida profissional e política, gerar e alimentar outro ser humano? Nada?

Acordem, iludidas feministas! O discurso que vocês tanto aplaudem leva à destruição. Quero ser respeitada e quero que as mulheres sejam respeitadas como seres capazes e dignos de fazer o que se determinam a fazer. Ofende-me, profundamente, ouvir que as mulheres são mera ficção.

Para reconhecer e fazer respeitar a comunidade LGBT, não é necessário esmagar a inegável, incrível, imprescindível e real existência da MULHER!"