Header Ads

Filhos de Bolsonaro preparam migração para nova UDN

O desgaste do PSL com o caso da candidatura laranja pode determinar a migração dos filhos do presidente Jair Bolsonaro - Carlos (vereador no Rio de Janeiro), Eduardo (deputado federal) e Flávio (Senador) - para a UDN (União Democrática Nacional), partido em fase de criação, segundo confirmação do Tribunal Superior Eleitoral. Para homologação, precisa de 497 mil assinaturas e já tem 380 mil. Também já tem diretórios em nove estados, mínimo exigido pela legislação vigente.

Leia trecho de matéria do Estadão:

Segundo três fontes ouvidas pela reportagem em caráter reservado, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) se reuniu na semana passada em Brasília com dirigentes da sigla para tratar do assunto.

O projeto do novo partido é tratado com discrição no entorno do presidente. Em 2018, a UDN foi um dos partidos – embora ainda em formação e sem registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) – sondados por interlocutores do presidente para que ele disputasse a eleição, mas a articulação não avançou. Depois de anunciar a adesão ao Patriota, Jair Bolsonaro acabou escolhendo o PSL.

A nova UDN é um dos 75 partidos em fase de criação, conforme o TSE. Segundo seu dirigente, o capixaba Marcus Alves de Souza, apoiadores já reuniram 380 mil assinaturas – são necessárias 497 mil para a homologação da legenda. O partido já tem CNPJ e diretórios em nove Estados, como exige a legislação eleitoral para a homologação. Ela tem em Brasília um de seus principais articuladores, o advogado Marco Vicenzo, que lidera o Movimento Direita Unida e coordena contatos com parlamentares interessados em aderir ao novo partido. A articulação envolveria ainda o senador Major Olímpio (PSL-SP), que nega.

O presidente Jair Bolsonaro e os filhos
 Flávio (à esquerda.), Eduardo e Carlos (à direita)
Foto: Família Bolsonaro.