Header Ads

Janaína tenta evitar a presença de apoiadores em frente à Alesp

Candidata a presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo, a deputada Janaína Paschoal, do PSL, está pedindo que eleitores dela não façam manifestações em frente à sede do Parlamento, antes ou durante a eleição marcada para dia 15 de março.

— Os deputados não estão acostumados e acreditam que eu e a bancada do PSL estamos fomentando os movimentos e eu confesso que ficarei preocupada com tumulto - escreveu nas redes sociais. E emendou: — O dia 15 será muito tenso. Eu preciso me concentrar na eleição para cada um dos cargos da Mesa. Eu não posso ficar com a cabeça "lá fora" em vocês. Entendem?".

Espontaneamente eleitores de São Paulo e admiradores de sua bravura e competência em diferentes estados prometem acampar em frente à Assembleia até a eleição, portando material de propaganda, como panfletos, camisetas e faixas.

— Eu fico feliz com o carinho, com as demonstrações de afeto, mas se puder pedir, peço que não vão. Recebi mensagens de que serão feitos panfletos, faixas e camisetas. Peço, encarecidamente, que não gastem com isso! — disse a deputada. E completou: — Eu não posso proibir o direito à livre manifestação dos cidadãos, porém, se puder pedir, eu peço que não façam manifestações em frente à Alesp.

A deputada Janaína Paschoal relata que, quando se iniciaram as conversas para ela se lançar candidata à Presidência da Alesp, teve dúvidas.

— Eu não conseguia ver com tanta clareza que assumir a Presidência seria algo necessário. No entanto, quanto mais conheço a dinâmica da Casa, mais me convenço de que seguir lutando pela Presidência é uma obrigação. Esse sentimento ganha força quando noto muitos partidos se unindo para inviabilizar nossa vitória. Agora, até as lives querem proibir! Por quê?

PROPOSTAS E DEBATE

a) A Alesp deve ser o único prédio público que não tem controle de entrada. A Alesp também não conta com câmeras e detector de metal. Se ocorrer um crime lá dentro, não temos nem como começar a investigar. Eu quero instituir controle de entrada.

b) Os Deputados que não compõem o Colégio de Líderes não têm estímulo para comparecer, pois todas as decisões são tomadas pelo Colégio de Líderes e, depois, apenas sacramentadas em um Plenário vazio. Eu quero levar as discussões ao Plenário!

c) Cada Partido tem um voto no Colégio de Líderes. Isso significa que o Partido que tem um único deputado tem o mesmo peso daquele que tem, por exemplo, dez deputados. Isso não é Democracia, pois falta representatividade. Vamos resgatar a proporcionalidade!

d) Mais do que criar boas leis, o bom Parlamentar deve trabalhar para revogar leis inúteis e contraditórias. Leis contraditórias dão margem à corrupção. Quero instituir um grupo para fazer a Consolidação das Leis Estaduais. Só a Presidência tem força para tanto.

e) Hoje, muitos funcionários não sabem o que é certo ou errado. Antes de punir, precisamos ensinar! Se eleita presidente, vamos elaborar uma Cartilha de Compliance para as Assembleias Legislativas! Estimular os funcionários a relatarem ilicitudes, com a garantia de não punição.

f) A Assembleia tem um orçamento de mais de um bilhão por ano. Muitos ajustes podem ser feitos para diminuir esses gastos. A mera aplicação das regras de compliance que pretendo criar já trarão muita economia.

g) Há anos, a Assembleia exerce um papel de verdadeiro Departamento do Poder Executivo. Esse não é o seu papel constitucional. O Papel do Legislativo é dialogar com igualdade e respeito. Eu quero resgatar essa missão constitucional. Nem base, nem oposição. Independência!

h) Estão alardeando que eu não conheço o Regimento de cor. Quem sabe artigo e inciso de cor é rábula! Jurista extrai o espírito da lei. O espírito do Regimento é que haja eleições de verdade. Não um teatro. Minha primeira grande ação já está em curso. Será uma eleição real!

i) Estão aterrorizando os funcionários, dizendo que estou pedindo livros de pontos. Isso não procede. Nem tomei posse! Quem estiver trabalhando será respeitado, ainda que não concorde em nada comigo. Respeito divergências. Mas assombraremos os fantasmas e os vampiros.

Janaína voltou a convidar para debate o outro candidato, Cauê Macris.

— Vamos debater democraticamente! Caso ele não aceite, menos como candidata e mais como cidadã paulista, peço que mostre o que tem de ruim em cada uma das propostas acima. Não estou pensando em mim, estou pensando na Alesp!