Header Ads

Toffoli quer defender personalidades, jornalistas e veículos contra ataques

O presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, não desiste de impor limites aos conteúdos do mundo virtual. De acordo com o Estadão, ele pretende buscar apoio da opinião pública para seu inquérito, relatado pelo ministro Alexandre de Moraes, argumentando que os alvos de ataques não são apenas membros do Judiciário, mas também personalidades, jornalistas e veículos de comunicação.

Dias Toffoli
Não parece que será fácil ao ministro sensibilizar a opinião pública. As pessoas estão indignadas com personalidades, jornalistas e veículos de comunicação, devido à perseguição implacável ao governo federal, principalmente ao presidente Jair Bolsonaro. A menos que Tofolli considere "opinião pública" os militantes de esquerda, críticos ferrenhos dos vitoriosos na disputa eleitoral de 2018.

Caso se confirme o tom do discurso citado pelo Estadão, o inquérito parecerá mais um modo de respaldar personalidades, jornalistas e veículos que combatem o governo e não gostam de contestações. A velha imprensa, sobretudo, não aceita a concorrência forte e crescente das redes sociais. Tanto é verdade que se esforça diuturnamente para desmerecê-la com ataques genéricos e também diretos a influenciadores.

É até possível que essa cruzada contra as redes sociais mobilize ainda mais seus usuários. Não faltará quem entenda que se trata, em última análise, de uma tentativa de bloquear um dos poucos canais de comunicação abertos para o presidente Jair Bolsonaro e seu governo. É grave a sanha do presidente do STF no sentido de atingir as redes sociais. Se conseguir, terá consolidado deplorável ataque à liberdade de expressão.