Header Ads

Roberto Jefferson defende retirada dos 11 ministros do STF como 'contra-golpe' com 'Bolsonaro à frente'

Em entrevista à Rádio Gaúcha, de Porto Alegre, o presidente nacional do PTB, ex-deputado federal Roberto Jefferson, atacou o ministro Celso de Mello, do STF. "Ele quer mostrar que é mais forte do que o fuzil. É um desafio que ele está fazendo aos militares, tentando humilhá-los", disse.

O dirigente do PTB defendeu uma "ação cirúrgica" no STF, com a demissão dos 11 ministros. O objetivo seria impor um "contra-golpe", que significaria uma "reação" necessária, "uma reação forte", "com Bolsonaro à frente", porque "só se detém um golpe pela força".

Roberto Jefferson em recente post no Twitter.
Roberto Jefferson disse que os ministros do STF estudaram Mao Tsé-Tung. "Então, todos eles sabem que o poder não inicia na toga, mas no fuzil. Só que eles estão desafiando o que eles aprenderam na escola progressista", afirmou o ex-deputado, responsável por denunciar o Mensalão.

O ex-deputado também disse que, se Bolsonaro interferiu politicamente na Polícia Federal, "era um direito dele".

As informações são do site O Antagonista.

Deixe uma resposta